domingo, 4 de setembro de 2016

Depois de anos de luta, difícil é recomeçar a lutar contra a precariedade e calamidades das mentalidades que assolam o atual governo

O poema do brasileiro Eduardo Alves da Costa: No Caminho, com Maiakowski, retrata bem esse processo de subtração gradativa de conquistas: “Na primeira noite eles se aproximam, roubam uma flor do nosso jardim. E não dizemos nada. Na segunda noite, já não se escondem: pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada. Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E como não dissemos nada, já não podemos dizer mais nada”.
http://www.redebrasilatual.com.br/saude/2016/05/icone-da-luta-contra-a-aids-pede-demissao-do-governo-temer-nao-deu-mais-546.html

Envie-me sua mensagem!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Site Educação Online

Curso de Filosofia a distância